8 de dez de 2008

Medo de Envelhecer

Uma pequena mostra de nosso teatro na aula presencial de Psicologia

19 de nov de 2008

Apresentação Psicologia

Em toda apresentação fico nervosa, sinto um frio, começo a suar, enfim dá um medão.
Esta noite será a apresentação de nosso trabalho de grupo e também dos outros colegas , espero que de tudo certo.
____________________________________________________________

Que alívio, nossa apresentação aconteceu e vou bem legal, muito engraçada.
Dava pra perceber que estávamos nervosas, meu grupo optou por uma apresentação de teatro, como o tempo era pouco pensamos em mostrar nossa pesquisa imcorporando personagens, ficou bem legal.
Aconteceram diversas apresentações e nossas colegas apresentaram power-point, mas o tempo era curto , muitas nem conseguiram terminar e mostrar todo trabalho que fizeram.
Algumas apresentações foram sobre o mesmo assunto que o nosso, MEDO DE ENVELHECER, mas com enfoque diferente.
Nosso grupo entrevistou pessoas e abordou o assunto de maneira que as respostas obtidas foram agradáveis, foi muito bom poder falar com pessoas idosas experientes, que mesmo estando em diferentes lugares e passando por diferentes situações(viuvos, morando em asilos, em casa cuidando de netos, vivendo(viajando e dançando), sendo companheiros o casal na velhice, sentem orgulho de ainda estarem vivos e poderem falar sobre suas vidas, sobre o que já passaram, como era no passado, as mudanças , enfim fazerem parte de uma história que eles são os protagonistas.

1 de nov de 2008

Trabalho em Grupo

A cada semestre somos desafiadas.
Trabalhar em grupo à distância é um desafio , mas principalmente é uma aprendizagem, porque precisa ter colobaroção, compreensão, coleguismo,troca, paciência.
Se já é difícil trabalhar em grupo presencial , à distância as dificuldades são ainda maiores: conexão lenta, sites com problemas,links que não abrem, falta de tempo presencial e desencontros nos chats marcados.
Neste semestre fizemos vários trabalhos em grupo, alguns escolhemos o grupo , outros o grupo nos foi imposto ou o número de pessoas foi determinado.
Acredito que se fosse feita uma pesquisa sobre a continuação ou não dos trabalhos em grupo no nosso curso, a opção seria trabalho individual. Porque quando conversamos entre colegas o trabalho em grupo é citado como algo que traz dificuldades ou então a não participação de todos os componentes.
Se perguntassem para mim se gosto do trabalho em grupo à distância, reponderia que não, porque realmente ter que esperar pelo outro é difícil, quando dependemos apenas de nós é mais fácil, trabalhamos dentro da nossa possibilidade. Mas levando em consideração que através do trabalho em grupo estamos mais perto das colegas através de trocas de e-mail e postagens acho ele válido, é uma aprendizagem à parte.

24 de out de 2008

Televisão - positiva ou negativa???

O doutor em História Social Marcos Napolitano diz que:
"A escola deve procurar "alfabetizar" visualmente os alunos e os ensinar a "ler" televisão". Segundo ele, é a leitura e o domínio da palavra escrita que dão um repertório lingüístico mais amplo ao aluno e o habilita a ser um espectador crítico. Levar a televisão para a sala de aula implica também ensinar os alunos a vê-la com olhar crítico. O importante é saber usá-la para o cotidiano, não sendo usado por ela.
(A televisão e sua Influência/
Amélia Hamze Profª FEB/CETEC/ISEB/FISO )
" A TV engorda, emburrece e torna as crianças agressivas. Temos pesquisas mostrando que quanto mais TV as crianças assistem, pior será desenvolvimento intelectual. Uma pesquisa realizada na Nova Zelândia provou isso. Depois de acompanhar o crescimento de 10 mil bebês nascidos na década de 70 até hoje, os pesquisadores mostraram que o grupo de crianças que assistiu menos de uma hora de TV por dia, teve 40% mais diplomas universitários que o grupo que assistia mais de três horas por dia. Ou seja, a TV é ruim para desenvolver a linguagem e a escrita e prejudica a atenção. Além disso, quanto mais horas alguém ficar diante da TV, menos exercício ela fará. Não é saudável. Crianças de jardim que assistem muita TV estão gastando tempo de aprendizagem. Mais importante que isso é que elas estão aprendendo as coisas erradas. Elas estão aprendendo os estereótipos errados e vendo violência." (Manfred Spitzer )

"Antes da criança chegar à escola, já passou por processos
de educação importantes: pelo familiar e pela mídia eletrônica.....
A criança também é educada pela mídia, principalmente pela televisão. Aprende a informar-se, a conhecer - os outros, o mundo, a si mesmo - a sentir, a fantasiar, relaxar, vendo, ouvindo, "tocando" as pessoas na tela, que lhe mostram como viver, ser feliz e infeliz, amar e odiar. A relação com a mídia eletrônica é
prazerosa - ninguém obriga - é feita através da sedução, da emoção, da
exploração sensorial, da narrativa - aprendemos vendo as estórias dos outros e
as estórias que os outros nos contam.
Mesmo durante o período escolar a mídia mostra o mundo de outra forma - mais
fácil, agradável, compacta - sem precisar fazer esforço. Ela fala do cotidiano, dos
sentimentos, das novidades. A mídia continua educando como contraponto à
educação convencional, educa enquanto estamos entretidos."
(José Manuel Moran)
Pensando sobre o assunto após ler reportagens na internet com opiniões de diferentes autores, paro pra pensar que : se a televisão faz parte da vida das famílias, porque não a usamos como um meio para atingir nossos alunos, nossos filhos??
A TV pode ser um meio de unir ou desunir as pessoas, mesmo quem diz que não asiste TV, sabe o que está passando ou a programação que cada canal tem . Após ler a reportagem do site
Educarede / TV na Educação - O trabalho com TV na escola , fiquei me questionando a respeito das atribuições que a TV tem no nosso cotidiano e também o porque de não assistimos TV nas escolas, ou então não trabalhamos sobre as programações que os alunos assistem; o que gostam e porque gostam, em qual horário acontece, sobre quais assuntos os programas falam e mostram imagens, o que é certo e errado, o que é real e fantasia.
Porque será que nas escolas as TVs são usadas apenas para passar vídeos e musicais.
Muitas escolas nem tem antena para os canais abertos, ou quando tem é para a TV Escola .
Refletindo sobre tudo isso concluí que a influência da televisão pode trazer contribuições valiosas desde que exista uma reflexão coletiva , um olhar crítico e assuntos para discussão.
É bom lembrar que a televisão também tem interesse financeiro, porque vive de anunciantes, precisa que empresas queiram anunciar seus produtos em determinado canal em determinado programa, assim há uma disputa de atenção. Muitas vezes acontece dos telespectadores(adultos, crianças) receber informações que não podem ser criticadas, porque quem está pagando precisa ficar satisfeito com o que está sendo apresentado.
Então, qualquer programa que a criança assiste na TV precisa ter um olhar adulto, não adianta proibir, o que se faz necessário na minha opinião é que os familiares e professores reflitam junto com a criança sobre o que realmente o programa, as imagens, sons estão querendo transmitir. Concordo com o doutor Marcos Napolitano quando ele fala sobre repertório lingüístico mais amplo e espectador crítico, a criança tem capacidade de aprender com a televisão, mas é preciso ensiná-la a como ver esta televisão que encanta e hipnotiza quase toda a população.

9 de out de 2008

Envelhecer!!!!

O que realmente é envelhecer????

Será que é físico ou psicológico????

Qual a diferença do velho e do idoso???


O tempo, o que faz o tempo, realmente ele nos envelhece ou nós nos envelhecemos???


Conheço muitas pessoas que já parecem velhas, com pouca idade e outras que tem nuita idade e que tem um ar tão jovem!!!!!

Acho que precisamos "......viver e não ter a vergonha de ser feliz........", ser velho, idoso, ancião é ter uma idade avançada, mais de 60 anos, é estar aposentado, ou ter direito a aposentadoria , é ter cabelos brancos, é poder curtir os netos sem medo de ter que educá-los, é ter uma vida sem muitas preocupações, é não estar muito preocupado com a aparência, é tomar remédio, é se preocupar com a saúde.

Agradeço a Deus porque tenho dois "velhos" que amo ainda vivos, meus pais. Meu pai tem 81 anos , minha mãe tem 72 anos. Já passaram tantas coisas na vida, são pessoas sábias, que pensam no bem estar dos filhos, dos netos, da bisneta. Que querem ajudar seja fazendo um favor, ou dando um conselho.
Respeito muito meus pais, sou da geração do medo, briguei muito com minha mãe, mas meu pai bastava me olhar e era suficiente.
Hoje eles tem uma vida boa, minha mãe cuida do meu pai, ele toma muitos remédios e quase não caminha mais, pra ir no médico é preciso levá-lo, já minha mãe é mais ativa , se não fosse meu pai ela saíria mais, faria ginástica, iria em grupo de idosos, ela já fez isso, mas agora não pode mais, pois meu pai não gosta de ficar sozinho.
Ao mesmo tempo que não gosta de ficar sozinho também não gosta de barulho, minhas visitas com meus filhos na casa deles é de pouco tempo, porque senão meu pai fica irritado.
Cuido dos meus pais, assim como espero que meus filhos cuidem de mim um dia, porque afinal de contas se não fosse eles eu não existiria.
Então penso que o IDOSO precisa ser tratado com respeito, amor, carinho, atenção, porque um dia nós também seremos IDOSOS e precisaremos da paciência dos mais novos.

2 de out de 2008

Evolução

Evoluir!!!!
O homem evoluiu.............
A tecnologia evoluiu.............
A educação apenas mudou.
Continuamos a ter um modelo de educação baseado em séculos passados, pouco motivadora . Muito coisa foi dita, escrita, mas pouco realmente foi feito. Ainda estamos engatinhando , quanto mais o homem se transforma, menos a ESCOLA o acompanha.
Existem muitas Leis,mas pouco se faz uso delas ou se tem conhecimento.
É preciso conscientização de toda uma sociedade, uma mudança de foco, uma transformação onde a educação seja vista como prioridade para continuação da evolução, da tecnologia, enfim do conhecimento.
Afinal somos pessoas únicas e não devemos em pleno século XXI ainda sermos avaliadas por notas.

Como disse Paulo Freire:

"A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tam pouco a sociedade muda."

"É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz,de tal forma que,num dado momento,a tua fala seja a tua prática."

"Ai daqueles que pararem com sua capacidade de sonhar, de invejar sua coragem de anunciar e denunciar. Ai daqueles que, em lugar de visitar de vez em quando o amanha pelo profundo engajamento com o hoje, com o aqui e o agora, se atrelarem a um passado de exploração e de rotina"


21 de set de 2008

Organizando idéias!!!!

Hoje após a leitura do texto disponível na biblioteca do ROODA na interdisciplina de Projeto(Projeto de Aprendizagem? O que é? Como se faz? Léa Fagundes), tive um outro olhar sobre o trabalho com projetos.

"Se o ser humano deixa de ser uma criança perguntadora, curiosa, inventiva, confiante em sua capacidade de pensar, entusiasmado por explorações e por descobertas, persistente nas suas buscas de soluções, é porque nós, que o educamos, decidimos “domesticar” essa criança, em vez de ajudá-la a aprender, a continuar aprendendo e descobrindo".

Compreendo agora que trabalhar com projetos é ter numa mesma turma diferentes tipos de interesse, onde os alunos pesquisem sobre o que realmente lhe interessa e sobre o que quer saber"O projeto é do aluno, ou de um grupo de aprendizes. Se os projetos são dos alunos, então são projetos diversificados porque 40 alunos não pensam da mesma maneira, não têm os mesmos interesses, e não têm as mesmas condições, nem as mesmas necessidades. A grande diferença, na escola, é um currículo por projetos dos alunos!"
Pode-se assim ter uma globalização de idéias, conteúdos onde um transmita para o outro o que descobiru, a aprendizagem que teve, sobre o que pesquisou.

Com certeza o trabalho com projetos é um ideal que precisamos correr atrás, infelizmente ainda nas escolas temos um aluno atrás do outro ou então alunos sentados em grupos, mas não trabalhando em grupos.
As escolas ainda seguem o mesmo padrão do século passado, tudo mudou , a tecnologia bate a nossa porta todos os dias de maneira diferente, mas dentro de nossas salas de aula ainda temos muitos alunos para um professor, temos quadro e giz, poucos materiais, falta ferramenta de trabalho que leve o aluno a realmente querer investigar, pesquisar, aprender, criar, colaborar. Ainda hoje o professor precisa ter o domínio sobre turma, precisa se preocupar com conteúdos, planilhas, conceitos, pareceres, notas, provas, avaliações.
Lemos muito e ouvimos bastante sobre os ideais para a educação, mas na prática tudo acontece muito lentamente e quem sai perdendo são os responsáveis pelo futuro do nosso planeta "as crianças".

15 de set de 2008

Refletindo!!!!!!

"Construímos o mundo em que vivemos ao longo de nossas vidas. Por sua vez, ele também nos constrói no decorrer dessa viagem comum. Assim, se vivemos e nos comportamos de um modo que torna insatisfatória a nossa qualidade de vida, a responsabilidade cabe a nós..."(Maturama,2001)
Realmente acho que somos responsavéis pelo mundo que construímos e temos que diariamente desconstruir e reconstruir nossa vida, aprendizagens, medos, idéias, valores, verdades, mentiras.....
Sou uma adulta em constante movimento que necessita de apoio, amor, carinho, afeto, limites, freio, diálogo, paixão, sonhos, brincadeiras, trocas constantes.
Muitas vezes fico frustrada com determinados tipos de comportamento, daí necessito me colocar no lugar do outro e me auto-avaliar.
Será que realmente posso estar descontente com algo que nem me atinge??? ou que não me diz respeito????
Ser adulto é realmente difícil e ser responsável pela vida de crianças que se tornarão adultos é um desafio, porque a minha verdade pode ser diferente da deles e tanto eu quanto eles só descubriremos isso passando por determinadas situações que a vida nos apresentar.

8 de set de 2008

Mapa conceitual!!!!! Projeto Aprendizagem

Nossa pergunta é :

A TV exerce influência na formação da criança?





Vida Adulta!!!!

"Ser adulto é uma questão complexa, depende da cabeça de cada um , claro que o adulto tem muitas responsabilidades e precisa saber escolher entre a razão e o coração, porque ele tem nas mãos a decisão da sua vida e também das pessoas sobre quais tem responsabilidade. O adulto é um ser que se diz independente e com o passar do tempo passou por diferentes aprendizagens e aprendeu sobre elas, através de erros e acertos, ele pode decidir o que realmente quer para si, como quer agir, assumindo suas decisões . Ser adulto para muitos é esquecer a criança que se transformou, muitos adultos colocam a responsabilidade como desculpa para a falta de tempo e fazem que os anos pesem realmente, se sentem a cada dia mais velhos , longe das doces lembranças da infância. Penso que ser adulto é uma constante busca entre o equilíbrio do passado com o presente, porque é preciso se atualizar e participar das novas gerações, conversar, trocar idéias, participar da vida tanto dos mais novos quanto dos mais velhos, tentar se colocar no lugar de cada um, porque muitas vezes o adulto esquece quais eram suas necessidades e vontades quando era criança ou adolescente e tenta passar uma imagem que na verdade ele construiu depois de se tornar adulto". (Marta R. P. da Silva) Postado no wiki de Psicologia

Realmente ser adulto é uma aventura cheia de responsabilidades.
Vivemos em uma época que nem o adulto se entende, vive em uma sociedade que não se encontra, que discrimina e que tem valores mudados a todo momento.
Sou uma adulta, pequena em tamanho,(meus alunos dizem pra mim não ir muito longe senão eles não me acham) mas com alguma experiência de vida. Acho que às vezes nem eu me entendo, porque é tanta coisa, e tudo ao mesmo tempo: filhos, marido, casa, pais, família, profissão,doenças, graduação, estudo, leituras, alunos, problemas,amizades, alegrias, frustrações, responsabilidades, laser, trânsito, nem sei como consigo dar conta de tudo.
Realmente nós adultos passamos por diferentes fases, mas acho que se tivesse que voltar no tempo passaria por tudo novamente, porque a bagagem que carrego comigo é única, é o caminho que percorri, tudo que aprendi, é a pessoa que sou hoje, mãe, mulher, professora, companheira, filha, amiga.

4 de set de 2008

Perspectiva Democràtica!!!!!!

Escrever sobre democracia é: “parar pra pensar se realmente sei o significado desta palavra e se vivo realmente uma democracia dentro da realidade que estou inserida”

Entendo que dentro de uma perspectiva democrática um dos fatores principais é a participação onde os cidadãos precisam, “fazer parte, tomar parte e sentirem-se parte de uma construção” Bordenave (1994,p.8). Assim para haver uma real democracia dentro do ambiente escolar se faz necessário que toda a comunidade escolar (pais, alunos, professores, funcionários e direção) em conjunto se envolva nas decisões que são tomadas visando o melhor para todos, objetivando ações realizáveis dentro dos recursos disponíveis, tendo como base o seu contexto, sua realidade local.

Muito se luta e lutou por uma gestão democrática, aconteceram avanços, autonomia da escola, planejamento participativo, eleição de diretores, conselho escolar, repasses regulares de verbas para aplicação nos recursos desejados pela escola e posterior prestação de contas, construção participativa do Projeto Político Pedagógico. Mas ainda vivemos sobre as decisões de Estado (Conselhos de Educação, secretarias municipais e estaduais, Ministério da Educação), somos obrigados a redigir pareceres e conceder ao aluno um conceito, nossos alunos e também nós professores e a instituição que trabalhamos recebem avaliação, há provas, provinhas que desenham um gráfico de aproveitamento do sucesso e fracasso escolar, quer dizer que, no final o que importa é se o aluno sabe ou não sabe, assim podem ver se a Escola e seus professores fazem ou não um bom trabalho. O que é levado em consideração não é a caminhada de cada um, mas sim a NOTA final que lhe foi dada.

Será que podemos então pensar que isso faz parte da democracia, sermos obrigados a fazer coisas que não concordamos, mas que nos é imposto????

22 de ago de 2008

Algumas dúvidas!!!!!

Início de semestre e algumas questões já estão borbulhando na minha mente:

  1. O que é realmente trabalhar com PROJETOS?
  2. Como se trabalha com PROJETOS??
  3. Como o adulto aprende realmente?
  4. O que é neoliberalismo?
  5. A televisão , que papel tem em nossas casas e na sociedade que vivemos??
  6. Como trabalhar em uma turma de 27 alunos, segundo ano, onde 10 só fazem risquinhos???
A questão 6 é a que mais me amedronta, porque estou trabalhando nesta turma. Comecei na turma 2A2 dia 15.08, confesso que é um desafio muito grande, estou me sentindo meio perdida. Os alunos brigam, alguns falam palavras obscenas e fazem gestos, preciso estar sempre chamando a atenção de um e outro e tenho que estar atenta porque também tem 6 alunos que já escrevem , e 1 está lendo, mas esse é o que mais bagunça a aula, está sempre fora do lugar, conversando e distraindo os colegas .
Sei que a teoria diz muita coisa e com certeza o curso me ajuda muito, só que na prática a coisa fica diferente, saio da sala cansada e frustrada, porque não consigo atingir os alunos, nem pelo afetivo. Na verdade parece que alguns estão lá nem sei porque, não há realmente uma vontade de aprender, de pesquisar, de trocar. Nem brincar eles sabem, só de luta.
Bem acho que tenho um longo caminho a percorrer e o tempo é pouco, espero ter conseguido avanços até o final do ano, estou aceitando sugestões e parcerias.

16 de ago de 2008

ILUMINA ILUMINA - PADRE ZEZINHO

Mês de Agosto, devemos lembrar de nossas famílias e de todas as famílias. Precisamos cada vez mais levar para nossos alunos mensagem de amor e fé.
Todos pertencemos a uma família e juntos formamos grupos que também formam famílias diferentes , que podemos escolher e aprender a AMAR.

10 de ago de 2008

Como organizo meu TEMPO!!!!!!

Bem....... o Tempo, sobre ele falei na paresentação final do 4º semestre .

"Tempo envolve duração, velocidade, medição, ritmo, aspectos naturais (chuvoso, quente, frio, nublado) e espaço implica em orientação, mudança, observação, lateralidade, profundidade, distância, delimitação, interior ou exterior. Tempo e espaço andam juntos e nós transitamos entre eles.
“O tempo muda o espaço que vivemos, as paisagens que conhecemos, as pessoas com quem nos relacionamos!!!! Realmente o TEMPO é um excelente material de Estudo, baseado nele percebi como é importante planejar , pesquisar, ler........... Como não pensar no tempo se vivemos com ele todo o tempo de nossa vida, pra tudo precisamos de tempo e é ele que faz tudo girar de uma maneira equilibrada.Existe tempo no relógio, nos anos, meses, dias, nas fotos, no passado, futuro, presente, no dia e na noite, nos lugares que se modificam, nos espaços que percorremos ou conhecemos, no dia chuvoso, quente, frio. Então assim temos infinitas possibilidades de desenvolver conteúdos integrados de maneira lúdica, criativa, prazeroso, concreta. Podemos escrever, contar, cantar, dançar, pesquisar, comparar, mudar, transformar, brincar, criar,...”.(
portfólio 17.06 )
"O tempo se revela acima de tudo na natureza: no movimento do sol e das estrelas, ... nos indícios sensíveis e visuais das estações do ano. Tudo isso é relacionado aos movimentos que lhe correspondem na vida do homem (com seus costumes, sua atividade, seu trabalho) e que constituem o tempo cíclico. ... Por outro lado, temos os sinais visíveis, mais complexos, do tempo histórico propriamente dito, as marcas visíveis da atividade criadora do homem, as marcas impressas por sua mão e por seu espírito: cidades, ruas, casas, obras de arte e de técnica, estrutura social, etc." (Bakhtin, 1997, p. 243.)
“O homem não pode participar ativamente na história, na sociedade, na transformação da realidade se não for ajudado a tomar consciência da realidade e da sua própria capacidade para a transformar. (...) Ninguém luta contra forças que não entende, cuja importância não meça, cujas formas e contornos não discirna; (...) Isto é verdade se se refere às forças da natureza (...) isto também é assim nas forças sociais (...). A realidade não pode ser modificada senão quando o homem descobre que é modificável e que ele o pode fazer.“(FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987)."
Procuro ter tempo, mas as vezes acho que preciso organizar melho o meu tempo, procuro me dedicar ao máximo ao que faço, independente da atividade (doméstica,profissional,acadêmica,pessoal), sou uma pessoa que normalmente é rotulada como muito certinha. Me cobro muito e também cobro das pessoas o que é combinado, sou muito responsável e está característica me é cara às vezes, porque cada pessoa é diferente e se organiza da maneira que está acostumada, dentro das suas possibilidades, às vezes o que é importante pra um não é pro outro.
Tento me virar nas horas que passo acordada das 7 h às 23h 45 de maneira que consiga dar conta de todas as atividades que tenho como mãe, mulher,esposa, professora, aluna, dona de casa e filha .

7 de ago de 2008

Quinto Semestre!!!!!

Posso dizer que está música pra mim é única, não a vejo só pra início de ano, mas para todos os momentos, porque afinal o que quero não é só para um ano, mas para todos os momentos!!!!.

Marcas do que se foi - Os Incríveis


Este ano quero paz
No meu coração
Quem quiser ter um amigo
Que me dê a mão...


O tempo passa e com ele
Caminhamos todos juntos
Sem parar
Nossos passos pelo chão
Vão ficar...

Marcas do que se foi
Sonhos que vamos ter
Como todo dia nasce
Novo em cada amanhecer...(2x)

Este ano quero paz
No meu coração
Quem quiser ter um amigo
Que me dê a mão...

O tempo passa e com ele
Caminhamos todos juntos
Sem parar
Nossos passos pelo chão
Vão ficar...

Marcas do que se foi
Sonhos que vamos ter
Como todo dia nasce
Novo em cada amanhecer...(4x)

17 de jun de 2008

Em que tempo estamos!!!

Tempo!!!!
O que é o tempo???
Qual tempo temos???
Somos escravos do tempo(relógio)???
Porque temos tantos eletrodomésticos para facilitar nossas vidas e cada vez temos menos tempo para fazermos o que queremos???
Será que sabemos administrar nosso tempo???
Nosso tempo é precioso???
Não tenho tempo!!!!(é o que mais escutamos)

Colocamos a culpa de tudo no tempo, na falta de tempo, na demora das coisas, ou no tempo que está fazendo, quando chove queremos sol, quando tem sol pedimos chuva, somos insatisfeitos!!!!!
Nem sabemos descansar, se temos um tempo livre logo pensamos no que fazer para aproveitar esse tempo.

O tempo muda o espaço que vivemos, as paisagens que conhecemos, as pessoas com quem nos relacionamos!!!!

Realmente o TEMPO é um excelente material de Estudo, baseado nele percebi como é importante planejar , pesquisar, ler. Com uma palavra tão pequena pode-se globalizar muitas disciplinas . É possível trabalhar Matemática, Ciências, Est. Sociais, Português, enfim todas.

Como não pensar no tempo se vivemos com ele todo o tempo de nossa vida, pra tudo precisamos de tempo e é ele que faz tudo girar de uma maneira equilibrada.
Existe tempo no relógio, nos anos, meses, dias, nas fotos, no passado, futuro, presente, no dia e na noite, nos lugares que se modificam, nos espaços que percorremos ou conhecemos, no dia chuvoso, quente, frio. Então assim temos infinitas possibilidades de desenvolver conteúdos integrados de maneira lúdica, criativa, prazeroso, concreta. Podemos escrever, contar, cantar, dançar, pesquisar, comparar, mudar, transformar, brincar, criar embasados no Tempo.

Li essa poesia e quero partilhar:

O PARADOXO DE NOSSO TEMPO

autor desconhecido

O paradoxo de nosso tempo na história é que temos edifícios mais altos, mas pavios mais curtos; auto-estradas mais largas, mas pontos de vista mais estreitos; gastamos mais, mas temos menos; nós compramos mais, mas desfrutamos menos.

Temos casas maiores e famílias menores; mais conveniências, mas menos tempo; temos mais graus acadêmicos, mas menos senso; mais conhecimento e menos poder de julgamento; mais proficiência, porém mais problemas; mais medicina, mas menos saúde.

Dirigimos rápido demais, nos irritamos muito facilmente, ficamos acordados até tarde, acordamos cansados demais, raramente paramos para ler um livro, ficamos tempo demais diante da TV e raramente oramos.

Multiplicamos nossas posses, mas reduzimos nossos valores. Falamos demais, amamos raramente e odiamos com muita freqüência.

Aprendemos como ganhar a vida, mas não vivemos essa vida. Adicionamos anos à extensão de nossas vidas, mas não vida à extensão de nossos anos.

Já fomos à Lua e dela voltamos, mas temos dificuldade em atravessar a rua e nos encontrarmos com nosso novo vizinho. Conquistamos o espaço exterior, mas não nosso espaço interior.

Fizemos coisas maiores, mas não coisas melhores. Limpamos o ar, mas poluimos a alma. Dividimos o átomo, mas não nossos preconceitos. Escrevemos mais, mas aprendemos menos.

Planejamos mais, mas realizamos menos. Aprendemos a correr contra o tempo, mas não a esperar com paciência. Temos maiores rendimentos, mas menor padrão moral. Temos mais comida, mas menos apaziguamento.

Construímos mais computadores para armazenar mais informações para produzir mais cópias do que nunca, mas temos menos comunicação. Tivemos avanços na quantidade, mas não em qualidade.

Estes são tempos de refeições rápidas e digestão lenta; de homens altos e caráter baixo; lucros expressivos, mas relacionamentos rasos. Estes são tempos em que se almeja paz mundial, mas perdura a guerra nos lares; temos mais lazer, mas menos diversão; maior variedade de tipos de comida, mas menos nutrição.

São dias de duas fontes de renda, mas de mais divórcios; de residências mais belas, mas lares quebrados. São dias de viagens rápidas, fraldas descartáveis, moralidade também descartável, "ficadas" de uma só noite, corpos acima do peso, e pílulas que fazem de tudo: alegrar, aquietar, matar.

É um tempo em que há muito na vitrine e nada no estoque; um tempo em que a tecnologia pode levar-lhe estas palavras e você pode escolher entre fazer alguma diferença, ou simplesmente apertar a tecla DEL.

9 de jun de 2008

Atividade desenvolvida !!!!!!

Postei essa atividade de Estudos Sociais no ROODA, minha tutora Giselda sugeriu que colocasse no meu blog, resolvi aceitar a sugestão.
Como é um arquivo grande postei no meu wiki , porque lá consegui postar todo o arquivo.
Tempo e espaço


Ciclos da natureza!!!!

(foto de atividade realizada com alunos sobre Germinação, ciclo de vida das plantas)

Pensar em ciclo lembra círculo, algo que começa e termina , que faz sempre um mesmo caminho mas este caminho pode sofrer alterações de agentes externos. Muitas vezes esses agentes externos causam efeitos irreversíveis num ciclo já existente. Vivemos em um planeta que se chama TERRA , mas que deveria se chamar ÁGUA porque tem muito mas água do que terra. Temos água em abundância, mas esta água não pode ser toda consumida, mas parece que nós seres racionais não sabemos disso e todos os dias interferimos nos ciclos da natureza, não respeitando o que nos é dado de graça , sem ser pedido. Muitos de nós Homens interfere na natureza pensando em melhorar algo, lugar, descobrir cura para alguma doença, fazer a vida ficar mais fácil , mas esquece das conseqüências que estas melhoras podem causar. É a natureza cíclica que garante a existência do que conhecemos neste planeta que vivemos, por isso existe uma dependência entre os seres vivos ou não que compõe a natureza, forma-se uma complexa rede onde um depende do outro e um de alguma forma produz alimento para o outro.

Pode-se dizer que Ciclo da natureza, resumidamente é:


O caminho que a natureza faz, sempre e sempre, dia a dia, ano a ano.
As estações do ano, o movimento das águas, os ventos, os movimentos da terra.
A noite depois do dia;
a primavera e o verão;
maré alta, maré baixa;
vento sul, vento norte;
rio que corre para o mar;
água que evapora e volta para o rio;
O que seria de nós se só houvesse dia e a noite não viesse para nos refrescar?
Se não caíssem as folhas das árvores para adubar e proteger o chão do inverno que se aproxima?
Se a água não sofresse evaporação para voltar bem limpinha para nós?
A natureza é sábia, por isso tudo no universo tem um ciclo, um ritmo, para que não se canse. (Andreavlv)

3 de jun de 2008

Tempo!!!!

Realmente o que é tempo???
Nas minhas leituras entendi que quando gostamos do que estamos fazendo o tempo passa rápido, ao contrário acontece quando não gostamos ou não queremos fazer algo, daí ele é lento.
Mas que tempo vivemos hoje , tão atropelado, tão voltado para o relógio, parece que somos escravos do tempo.
Gostei muito de ler Os Domingos Precisam de Feriados sugerido pela professora Sílvia, faz realmente a gente pensar que precisamos de uma pausa em alguns momentos.

24 de mai de 2008

Limitações!!!

Após realizar a atividade EF4 de Matemática sobre construção de objeto em grade isométrica constatei REALMENTE o que já sabia com relação a minha falta de visão em perspectiva. Penso que isso é uma limitação que tenho ou até um bloqueio, porque é difícil pra mim conseguir visualizar de uma maneira que não seja realmente tridimensional, pintado, bonitinho. Não que eu saiba desenhar assim, mas preciso ver desta maneira pra poder entender a planta de uma casa por exemplo, me questiono o porque disso e lembro que não tive Geometria enquanto aluna.
Pensando nas limitações acho que cada um tem as suas, nem todo mundo gosta de tudo igual, cada pessoa tem mais facilidade ou dificuldade pra isso ou pra aquilo, assim também são nossos alunos.
Tenho uma filha de 13 anos que é ótima ouvinte. Ela não gosta de decorar e acha que não precisa, que estudar é aprender e não repetir, ou simplesmente ler um livro e pronto, na ultima avaliação de Geografia ela não foi bem, porque não decorou o que o professor pediu, chegou em casa muito chateada, achando-se injustiçada e eu como mãe tive que amenizar a situação, tentei fazer ela entender que cada professor tem seu método e que infelizmente muitas vezes na vida precisamos fazer o que não gostamos, que o decorar se faz necessário nesse momento para ela passar no bimestre e conseqüentemente no final do ano.
Tenho que confessar que minha vontade era ir lá e discutir com esse professor , questionando-o sobre o que ele está fazendo, que tipo de educação ele acredita, mas me contive. Sugeri pra minha filha que conversasse com o professor e colocasse o que ela pensa, que relatasse que não gosta de decorar, que prefere entender; quis com isso faze-la entender que ela já pode resolver os seus problemas, que com certeza a família está presente, mas que nossas frustrações precisam ser resolvidas , é preciso ter AUTONOMIA - agir por si, assumir os riscos de suas ações.

Jean Piaget caracterizava "Autonomia como a capacidade de coordenação de diferentes perspectivas sociais com o pressuposto do respeito recíproco". (Kesselring T. Jean Piaget. Petrópolis: Vozes, 1993:173-189).

O bom senso é outro fator que deve permear a prática docente, tendo respeito a autonomia, a dignidade e a identidade do educando, o educador pleno do conhecimento que rege o bom senso, exerce em sala de aula a autoridade a ele concedida porém sem o autoritarismo que se vê em sua essência. (Paulo Freire).

Então, depois disso tudo parei pra pensar que muitas vezes não conseguimos trabalhar com as nossas limitações e com as limitações dos alunos, ainda prevalece aquele pensamento que todos são iguais e que sabem e podem fazer as mesmas coisas, que apenas uns gostam ou não gostam de fazer, esquecemos que na verdade aí está a dificuldade ou facilidade de cada um. Assim será que damos oportunidade para nosso aluno desenvolver sua autonomia, completar o seu processo passando da Anomia, a Heteronomia e finalmente nosso objetivo maior a Autonomia.
Com certeza ainda reproduzimos muito do que nossos professores e sociedade nos incutiu, é preciso muita reflexão e um passo de cada vez para conseguirmos progredir e transformar o nosso pensamento.

16 de mai de 2008

A arte de perguntar!!!

Todos nós temos perguntas para fazer , respostas para ouvir. Se não perguntássemos acho que não teria graça , nem diálogo, somos movidos por perguntas e quanto mais perguntamos, mais curiosos ficamos.
Ex: logo de manhã falamos: - Bom dia!!! - Como vc está, dormiu bem?
A partir daí já se começa uma conversa, uma preocupação com o outro.
Para a criança as perguntas precisam de resposta, muito mais que para o adulto , porque ela não entende como as vezes não sabemos tudo e precisamos pensar pra responder, ou até mesmo pesquisar respostas. Nossos filhos e alunos se sentem frustrados quando não tem suas perguntas respondidas, quando não são ouvidos.
Acho que toda pergunta tem uma resposta e precisa ser dita , mesmo que não seja o que a outra pessoa queira ouvir ou pensava em ouvir.
É importante ouvir as crianças, fazer elas se sentirem importantes, dar espaço para a curiosidade, não deixá-las sem respostas, porque quanto mais perguntarem, mais curiosas ficarão, mas pra isso precisam obter respostas para suas dúvidas.
As crianças através da linguagem e da arte de perguntar se socializam e aumentam seu vocabulário, descobrindo novas respostas, conceitos, explicações, mas é preciso diferenciar as perguntas de curiosidade e as de vontade de descoberta, para isso precisa acontecer uma investigação, para realmente saber se a criança está querendo chamar a atenção perguntando sempre e até sendo desagradável porque repete várias vezes a mesma questão ou se realmente ela tem necessidade de saber e a resposta que já foi dada, não está mais a satisfazendo.

10 de mai de 2008

Conflito??? Mais estudo!!!

Realmente depois da aula presencial desta semana acho que minha cabeça deu um nó.
O professor Samuel disse que a criança precisa pensar logicamente e que o material concreto pode ser deixado de lado, o aluno deve abstrair.
Bem depois disso, acho que já não sei mais o que pensar, visto que até hoje todos os cursos que fiz falavam da utilização e da importância do uso do material concreto.
Entendo que o concreto não precisa ser necessariamente objetos que podemos pegar com a mão, podem ser objetos que consigamos lembrar, visualizar. A criança precisa saber o que é para poder imaginar, como num problema se estiver escrito que: Um edifício tem 5 andares e em cada andar 4 apartamentos ..... , se a criança nunca esteve em um edifício não saberá do que se trata o problema.
Particularmente eu questionei o professor Samuel sobre a dificuldade da subtração, ele junto com o grupo chegou a conclusão que o problema não é o subtrair, mas sim o valor posicional dos numerais, ele comentou que o aluno precisa entender, construir a sua aprendizagem , entendendo que num cálculo os numerais valem valores diferentes, conforme a posição que estão e que não pode ficar dependente dos risquinhos, dedos, palitos para resolver cálculos.

Este meu conflito veio de encontro ao meu Plano de Estudos visto que precisarei cada vez mais transformar o que sei, procurar entender os diferentes pensamentos e falas que me são passadas, investigar realmente , enfim pesquisar , re-construir o meu conhecimento.

Já comecei este estudo refletindo sobre:

[...] Se escolhe uma situação, se faz um recorte, se transmite conhecimento e também ignorância. Além do mais, não se transmite, em verdade, conhecimento, mas sinais desse conhecimento para que o sujeito possa, transformando-os, reproduzi-lo. O conhecimento é do outro, porque o outro o possui... (FERNÁNDEZ, 1990, p. 52)

"A epistemologia genética de Jean Piaget lançou as bases dos estudos acerca da natureza e psicogênese do número. Outros, depois, apoiados em suas idéias, experimentaram e aprofundaram os estudos no sentido de melhor estabelecer as variantes que interferem nessa construção. O número traz em si dois aspectos complementares: o lingüístico e o estrutural. Nas interações sociais se aprendem os aspectos culturais do número concomitantemente à construção e evolução das estruturas psicológicas que possibilitam a construção da noção de número. A lógica matemática será fundamental no desencadeamento de outras aprendizagens (a da escrita, por exemplo) e seu desenvolvimento se dá paralelamente ao do juízo moral. O conhecimento da construção do número pela criança é de fundamental utilidade àqueles que desejam um ensino eficiente e saudável da Matemática ou aos que desejam melhor fundamentar uma intervenção psicopedagógica no campo do número."(http://www.educacional.com.br/articulistas/artigo0012.asp)

"A mesma mobilidade do pensamento que permite entender que a quantidade desenhada vale uma dezena, mas que cada objeto não deixou de ser uma unidade e que, portanto, ali temos dez unidades, permite à criança entender que "sapato" forma uma unidade léxica, mas, mesmo assim, cada letra não deixou de ser uma unidade independente. Letras são unidades contidas nas sílabas que, por sua vez, são unidades contidas nas palavras, que são unidades contidas nas frases...; assim como as unidades, dezenas, centenas..."(http://www.educacional.com.br/articulistas/artigo0012.asp)

Não há ensino programado possível que permita avançar no alcance de noções como a conservação (imprescindível para trabalhar com o número), mas são realmente importantes as diferentes possibilidades que o sujeito tenha de experimentar com o meio, já que na medida em que careça delas, terá retardamentos no desenvolvimento e na inteligência.
Em síntese, as estruturas não podem confundir-se com a aprendizagem, da qual são uma condição necessária. (FERNÁNDEZ, 1990, p. 73)

4 de mai de 2008

Projeto Transformações!!!!!

A história da Galinha Ruiva e o vídeo acima (De onde vem o pão?) dão início ao questionamento sobre as transformações, que acontecem na natureza, com as coisas, ambientes, lugares e pessoas.

Questionando meus alunos quanto as transformações irei dar início ao meu Plano de Estudos onde :

"Pretendo trabalhar através de PROJETO objetivando meu aperfeiçoamento com esta nova ferramenta de trabalho, possibilitando desenvolver os diversos conteúdos propostos de uma maneira que englobe as diferentes áreas do conhecimento de maneira que professor e aluno interajam ,façam experimentações,vivenciem situações, realizem trabalhos práticos prazerosos onde aconteça, cooperação e esforço pessoal de ambos para haver a construção e transformação de conhecimentos."

29 de abr de 2008

Observar!!!????

Precisamos praticar a cada dia nossa aprendizagem, quanto mais escuto e observo mais aprendo, Ontem tive reunião pedagógica na minha escola, muitas conversas, angustias, coisas a resolver, mas um grande problema APRENDIZAGEM x COMPORTAMENTO.
Parece que nada agrada alguns alunos, eles fazem de tudo pra chamar atenção, por mais que a aula possa ser diferente e dinâmica os alunos não estão muito preocupados com a sua própria aprendizagem, eles querem é brincar, conversar, fazer fofoca,brigar, fazer brincadeiras desagradáveis .
Hoje mais do que nunca o professor precisa ser "professor pesquisador"(Freire/Pedagogia da Autonomia),

Ensinar exige pesquisa

Não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino.

Para se ensinar é preciso buscar informações, consultá-las e revê-las. Indagar-se e indagar é fundamental no processo de assimilação de novos dados.

Pesquisar para descobrir é a chave para conhecer, comunicar e anunciar o novo.

A curiosidade ingênua, da qual são portadores os educandos deve ser destacada, respeitada e estimulada pelo educador.

A ascensão do conhecimento do educando não acontecerá automaticamente, mas, será provocada através dos estímulos feitos, por aquele professor que tem perfil de pesquisador, à sua curiosidade e à sua criatividade.

A partir destas reflexões vejo que preciso a cada dia buscar mais e procurar entender como meu aluno aprende, o que ele quer, porque será que a Escola a sala de aula já não é mais tão agradável, se torna cansativa e monótona, o que leva meu aluno a estar em constante conflito e querer tanto chamar atenção de diferentes maneiras, porque os meus valores são tão diferentes dos deles e porque acho que os meus são os corretos.
Busco a cada dia resgatar meu aluno pela afetividade, não adianta medir forças, gritar, esbravejar é preciso procurar uma harmonia, é importante que o aluno saiba até onde pode ir, os limites precisam estar presentes , na SOCIEDADE que estamos incluídos há regras e comportamentos que devem ser obedecidos.

22 de abr de 2008

Investigação


Nos últimos dias quando os alunos das diferentes turmas de 1º ano até 4ª série vão no EVAM (Espaço Virtual Aprendizagem Multimídia) fico observando as diferenças de aprendizagem, de ritmo, de entendimento, concentração, vontade de descobrir e enfrentar desafios. É interessante que as crianças pensam em jogar, mas o jogo pelo jogo, não como algo a ser descoberto, quando é algo que precisa ser pensado, eles querem mudar, trocar de jogo, deixa de ser interessante.
O prazer das crianças hoje em dia é muito imediato, não é algo a longo prazo, num instante gostam, no outro já acham chato, monótono. Percebo um medo da mudança, do novo e uma dependência do professor, os alunos não querem errar,querem acertar, mostrar que sabem, tem medo da exposição, do que o colega vai dizer. Então é mais fácil fazer o que se sabe, do que tentar e seguir adiante, conquistar.
Tento estimular nos alunos a busca pelo desconhecido, o enfrentar os obstáculos e seguir adiante, o querer aprender sozinho, o ler e entender, mas tenho que confessar que é difícil, porque daí tudo parece difícil , eles criam um bloqueio, claro que não são todos e por isso procuro trabalhar em duplas onde um auxilia o outro.

18 de abr de 2008

Plano Individual de Estudos


Justificativa:

Pretendo trabalhar através de PROJETO objetivando meu aperfeiçoamento com esta nova ferramenta de trabalho, possibilitando desenvolver os diversos conteúdos propostos de uma maneira que englobe as diferentes áreas do conhecimento de maneira que professor e aluno interajam ,façam experimentações,vivenciem situações, realizem trabalhos práticos prazerosos onde aconteça, cooperação e esforço pessoal de ambos para haver a construção e transformação de conhecimentos.

Reflexão:

Sinto a necessidade de proporcionar para meus alunos uma maneira mais lúdica e prazerosa de trabalhar os diferentes conteúdos que nos são apresentados. Acho importante refletir e fazer uma análise do que vivenciamos, assim é necessário haver envolvimento de ambas as partes, professor e aluno trabalhando juntos e questionando o que acontece , o que vê, o que tem dúvida, e não ver as coisas fragmentadas, porque tudo faz parte de um conjunto. Por isso pensei no Projeto Transformações onde junto com os alunos nós pesquisaríamos as diversas transformações que ocorrem com eles, com os ambientes, com as pessoas, os lugares,animais, natureza, meios de comunicação, meios de transporte, enfim... Como tudo se transforma juntos poderíamos descobrir quais transformações nos são ou foram mais importantes e temos necessidade de buscar informações e descobrir realmente como aconteceu.

Assim globalizaríamos os conteúdos onde cada atividade poderia ser explorada nas diferentes áreas, através de entrevistas, desenhos, maquetes, gráficos, produção de painéis e textos,confecção de maquetes e álbuns, elaboração de cartazes, contagem , relatórios, etc.

Ex: Conversa sobre o nascimento, as transformações que aconteceram com cada um, onde nasceram, quanto pesavam, tomaram vacinas, origem dos pais, nascimento dos pais, com quem são parecidos. Nesta atividade poderia ser visto mapas, ver o que de importante aconteceu nos anos de nascimento enquanto fato histórico, poderia ser feito gráfico de diversos aspectos, os alunos poderiam se pesados e medidos , feito comparação do nascimento e o atual.

Meu principal objetivo:

Proporcionar ao meu aluno propostas práticas enfocando um trabalho conjunto em busca de descobertas, onde ele consiga se envolver, pensando no que acontece no seu dia-a-dia, sendo motivado a pensar e repensar no que lhe é apresentado, o que acontece, aconteceu e poderá acontecer.

* Para atingir meu objetivo precisarei fazer um trabalho de pesquisa constante com pessoas, internet, livros, televisão, rádio, etc. Pois trabalhar com projeto é um desafio, visto que é preciso estar em constante busca, se interando de tudo que acontece no meio que nos cerca, na sociedade que estamos e fomos inseridos.

Fundamentação:

“Projetos são propostas de intervenção pedagógica que dão à atividade de aprender um sentido novo em que as necessidades de aprendizagem afloram nas tentativas de resolver situações problema” (Lúcia Helena A. Leite)

“Os projetos são situações em que a linguagem oral,escrita,leitura e produção de textos se inter-relacionam de forma contextualizada, pois quase sempre envolvem tarefas que articulam esses diferentes conteúdos.....” (PCN p.62)

“Na medida, porém, em que me fui tornando íntimo do meu mundo, em que melhor o percebia e o entendia na “leitura” que dele ia fazendo, os meus temores iam diminuindo.” (Paulo Freire)

“Os Projetos de Trabalho (Entrevista com Hernández) permitem ao educador ultrapassar os limites do ensino por simples transmissão de conhecimentos, transferindo a responsabilidade do processo de construção do saber ao próprio aluno”.

Internet:

http://www.escola2000.org.br/pesquise/texto/textos_art.aspx?id=49,

http://vicenteoficina.blogspot.com/2007/12/trabalhando-com-projetos-globalizao_04.html,

10 de abr de 2008

Meio Ambiente!!!

Que meio ambiente é esse que vivemos e não conhecemos?
Que ambiente oferecemos aos nossos alunos para eles se interessarem por outros ambientes?
Onde anda a curiosidade e a pesquisa pelo conhecido e também pelo desconhecido? Pelo novo e pelo antigo?

Hoje refletindo vi que tudo se encaixa, que a ciência tem uma história , que está estruturada em alguém que fez história, em pesquisas que aconteceram em determinado lugar e tempo, utilizando o ambiente que vivemos como material de estudo.

Pensando assim é muito importante levar nosso aluno e nos mesmos a curiosidade, a investigação, ao questionamento, porque assim pode-se entender a realidade apresentada, que se modifica a cada dia. Lembrando que quem modifica esta realidade somos nó seres humanos e a própria natureza. Precisamos ser menos reprodutores e repetidores de informações.

É fundamental priorizarmos a construção do conhecimento através da pesquisa, do conflito, da interação, levar nosso aluno a refletir que ele pode transformar, entender os diferentes espaços, as representações, as problematizações, as modificações do ambiente, as diferentes paisagens, localizar-se, fazer parte de uma história ou várias, criar a sua história, se encontrar no tempo histórico, perceber que as diversidades existem, refletir sobre: mudanças, movimentos de ir e vir, culturas, natureza.

3 de abr de 2008

Questionando!!!???

Lendo e refletindo sobre: "Abordando, mais especificamente, a questão do pensamento matemático, Piaget (1987) afirma que as operações lógico-matemáticas estão ligadas às ações mais gerais que podem ser aplicadas nos objetos como agrupar, separar, ordenar, estabelecer correspondência, etc.", do texto "Aprendizagem e Desenvolvimento: Experiências Físicas e Lógico-Matemáticas" fico pensando que a matemática é um "Bicho papão" para muitos professores e pais que acabam fazendo com que as crianças também a vejam desta maneira. Como trabalho em uma comunidade que os números são mais importantes que a escrita percebo, que para os alunos fazer cálculos é bem mais importante do que ler e escrever, mas muitas vezes são só os cálculos mentais e não os do papel , não a estrutura .
Sempre gostei de matemática , de trabalhar com números e dar aula de matemática, mas percebi que para os alunos a subtração é muito abstrato e que para eles os números são apenas algarismos de 0 a 9, e não separados por unidades ou dezenas , ou centenas e até mesmo milhar.
Trabalhei muitos anos com quarta série , meus inícios de ano eram frustrantes porque os alunos ainda não haviam construído realmente a noção de número então precisava resgatar e mostrar a importância de realmente entender como o cálculo deveria ser entendido. Normalmente levava em consideração o que o aluno me mostrava e pensava com ele o que ele tinha pensado questionando-o para entender o desenvolvimento, o seu raciocínio.


29 de mar de 2008

Pensamento!

28 de mar de 2008

Interdicisplinas!!!


Realmente existe uma interdisciplinaridade no nosso curso, por que uma disciplina tem a ver com a outra. Como pensar em Ciências, sem lembrar de Matemática, de Estudos Sociais ou de Português . Lendo e pensando sobre a primeira atividade quanto a classificação e seriação de matemática automaticamente imaginei várias atividades globalizando as disciplinas. Minha atividade consiste em trabalhar com rótulos de coisas que as crianças tem em casa que compram normalmente, assim teria um material riquíssima, onde envolveria contagem, tipo de conteúdo de cada embalagem, de onde elas vieram, onde foram feitas, como é escrito , o que dá pra ler, peso, medida,tipo, forma, pra que serve..........enfim.
Tudo na vida se encaixa, assim na aprendizagem, somos um todo, não há como haver uma separação, uma ruptura. É difícil entender como ainda hoje a educação se dá por pedaços, já que ela é contínua e aumentativa, cada vez mais recebemos informações e juntamos com a que temos pra poder transformar o que já sabemos.

Adoro e acho que a Educação deveria ter como base os conhecimentos gerais, todos deveriam saber de tudo um pouco, como os médicos de antigamente, porque hoje em dia se é problema no coração é com um especialista, se é pulmão é outro, mas nosso corpo é um só, assim como também a aprendizagem, precisamos saber de tudo um pouco e nos aprofundarmos naquilo que no momento está nos chamando mais a atenção. Só que a aprendizagem ainda visa notas , conceitos, provas, pareceres de professores que muitas vezes nem conhecem seus alunos, nem a realidade que eles vivem, os valores são diferentes , as necessidades não são as mesmas.

Penso que a aprendizagem deveria ser prazerosa e ir de encontro ao que a criança tem curiosidade, não precisaria ser dado muitos conceitos e informações desnecessárias que a criança não conseguisse absorver naquele momento, mas sim ir sendo aprofundado no decorrer do tempo, conforme a necessidade que a criança fosse tendo.
Sou apaixonada por matemática , gosto de ciências, não gosto muito de geografia, mas sim de história, porque todos temos uma história para contar e ouvir. Precisamos ter a curiosidade de ir além , de saber mais , de ouvir outras opiniões e não repetir exatamente o que foi nos dito.

25 de mar de 2008

Reflexão!!!!!

Pensar, avaliar, refletir sobre a apresentação do final do terceiro trimestre é fácil .
Preciso registrar que achei esta apresentação mais tranqüila que a primeira, mas o medo e a insegurança foram os mesmos, porque na verdade não sabia o que realmente o professor queria ouvir, como seria a avaliação, o que fazer para apresentar. Me preocupei em me preparar lendo minhas postagens , fiz um Hipertexto que nem pude apresentá-lo na sua totalidade porque o tempo foi pouco.

Essa questão do tempo precisa ser repensada, porque na verdade o que é preparado, não é apresentado como deveria. É frustrante fazer todo um trabalho e não poder utilizá-lo, porque ou se fala ou se apresenta o que está escrito, assim basicamente só seria preciso ler, cronometrar o tempo. Felizmente somos seres humanos .
Gosto de falar e no momento que falo, automaticamente acontecem lembranças que merecem comentários.

Acho válido a apresentação, mas prefiro escrever, porque pelo menos escrevendo posso dizer tudo que quero e penso, o tempo para a escrita é bem maior.
A exposição e explanação perante os colegas é válida , mas como telespectadora tenho que dizer que é muito cansativo, porque o colega fala, coloca suas aprendizagens, suas reflexões, alegrias, frustrações e não se pode interagir, só se escuta, não há uma troca.

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios