2 de out de 2008

Evolução

Evoluir!!!!
O homem evoluiu.............
A tecnologia evoluiu.............
A educação apenas mudou.
Continuamos a ter um modelo de educação baseado em séculos passados, pouco motivadora . Muito coisa foi dita, escrita, mas pouco realmente foi feito. Ainda estamos engatinhando , quanto mais o homem se transforma, menos a ESCOLA o acompanha.
Existem muitas Leis,mas pouco se faz uso delas ou se tem conhecimento.
É preciso conscientização de toda uma sociedade, uma mudança de foco, uma transformação onde a educação seja vista como prioridade para continuação da evolução, da tecnologia, enfim do conhecimento.
Afinal somos pessoas únicas e não devemos em pleno século XXI ainda sermos avaliadas por notas.

Como disse Paulo Freire:

"A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tam pouco a sociedade muda."

"É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz,de tal forma que,num dado momento,a tua fala seja a tua prática."

"Ai daqueles que pararem com sua capacidade de sonhar, de invejar sua coragem de anunciar e denunciar. Ai daqueles que, em lugar de visitar de vez em quando o amanha pelo profundo engajamento com o hoje, com o aqui e o agora, se atrelarem a um passado de exploração e de rotina"


2 comentários:

Suelen Assunção disse...

Martinha querida!
Existem muitos discursos, principalmente após a "Pedagogia do Oprimido", que afirmam uma necessidade de mudança na escola. Principalmente por tratar o educando como oprimido, e o professor como o opressor. Uma das ferramentas de opressão que é usada - nesta perspectiva - pelos professores, é justamente a avaliação. Ser por nota, é o de menos. O problema é a avaliação. Mesmo que ela fosse por parecer: tem coisa pior que ser descrito, com belas palavras, as incompetências e inabilidades de um sujeito?
Assim, seria possível pensar numa escola sem avaliação? Ou, primeiramente, que sentido tem a avaliação?
Penso que a escola foi criada para disciplinarizar os corpos dos sujeitos, assim como disseminar uma cultura dominante, no caso, a matemática, a história,... (disciplinas como ciência).
Assim, a avaliação serviria para verificar se os sujeitos atingiram um ideal de disciplinarização.
Assim, cabe a nós pensarmos o que queremos que a escola seja!?! Ou, antes disso, que tipo de sujeitos queremos formar na escola e sob quais mecanismos de subjetivação!?!
O que achas?
Beijão no coração
Suelen - tutora da sede - Seminário Integrador V

Giselda Correa disse...

Olá Marta, tudo? Concordo contigo! Tudo evolui, mas a educação...Também acho que tenha que haver uma mudança, mas para isso tem que haver “CONSCIENTIZAÇÃO”. Para isso precisamos fazer uma parceria família x escola, já que esta segunda não está isolada do resto da sociedade.
Carlos Drummond de Andrade já dizia: “(...) Eu queria uma escola que lhes Ensinasse a pensar, a raciocinar A procurar soluções... Que vocês aprendessem A transformar e criar. Que lhes desse múltiplos meios de Vocês expressarem cada sentimento Cada drama, cada emoção(...)”
Educar para a cidadania democrática exige que a escola tenha uma nova visão de trabalhar os conteúdos, articulando-os com o cotidiano dos alunos e utilizando-os no ambiente - físico, social e político. O aluno sai do "papel" de mero espectador para assumir o de protagonista do seu aprendizado, construindo conhecimento através das suas experiências; teorizando suas práticas. Para isso é preciso que a escola, a família e todos os envolvidos no processo se contaminem pelos mesmos ideais. Contar com profissionais comprometidos, abertos a mudanças e novos desafios é de fundamental importância. Esse é um trabalho de "formiguinha", pois nada muda de um dia para outro. É preciso começar esse movimento em torno da família e dar continuidade na escola, para que se pautem na democracia participativa, para que todos os envolvidos - reconheçam a importância de se educar para a cidadania. Um abraço, Gi

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios