26 de abr de 2010

SEGUNDA SEMANA

Durante esta semana procurei desenvolver as atividades pensando no ritmo de cada um, já que na semana passada tive uma visão melhor da turma. Então realizei atividades em grupo, onde eles precisavam pensar e trabalhar juntos respeitando o tempo de cada um onde um podia ajudar o outro. Mesmo assim alguns alunos ainda não conseguiram acompanhar o seu grupo de trabalho.
Entendo que a aprendizagem é um processo no qual passamos por várias etapas na construção de noção de tempo e de  espaço , mas vendo os alunos trabalharem em grupos, dá pra observar que ainda são muito individualistas e que não respeitam o tempo do outro e também o espaço que ele precisa ocupar, opinando, perguntando , tentando vencer suas dificuldades e contribuir com suas hipóteses.



Então mais do que nunca constato que é preciso  planejar , levando em consideração a caminhada dos meus alunos, mas também é preciso planejar indo de encontro as suas necessidades, ou melhor ao que não estão acostumados a fazer e tentar fazê-los trabalhar e pensar diferente.

Segundo Paulo Freire, "... o ato de ensinar exige a existência de quem ensina e de quem aprende. Quero dizer que ensinar e aprender se vão dando de tal maneira que quem ensina aprende...observado a maneira como a curiosidade do aluno aprendiz trabalha ...."(FREIRE, Paulo.1993) .

19 de abr de 2010

Teorias

Bem, durante a semana passado depois do comentário da professora Dóris, precisei complementar meu Projeto de Estágio, no início fiquei meio chateada, porque havia me dedicado tanto ao Projeto, que pensei que estava de acordo.
Após o comentário precisei refazer leituras e embasar melhor meu Projeto teoricamente. Tenho que dizer que foi bom porque assim compreendi melhor Vygotsky e Paulo Freire, meus autores escolhidos.
 Em Vygotsky " o homem é um ser social formado dentro de um ambiente cultural historicamente definido ", porque seu funcionamento psicológico não está pronto previamente, não nascendo com as pessoas, mas também não é recebido como um pacote pronto do meio ambiente. Sendo ele é um autor interacionista , leva em conta coisas que  vem de dentro do sujeito e coisas que vem do ambiente, para ele é fundamental que o aluno se insira num determinado ambiente sócio-cultural onde as interações sociais terão um importante papel para o desenvolvimento humano [...] não fosse o predomínio dos pseudoconceitos, os complexos da criança seguiriam uma trajetória diferente daquela dos conceitos dos adultos, o que tornaria impossível a comunicação verbal entre ambos (VYGOTSKY,1993, p 58), a relação pensamento/linguagem não nasce com o sujeito , mas sim se desenvolve com o passar do tempo.
Vigotsky valoriza a ação pedagógica e a intervenção nas situações de aprendizagem dentro de sala de aula, o fato do sujeito aprender vai definir por onde o desenvolvimento vai se dar, assim o sujeito se desenvolve porque aprende. 
Em Freire  a Pedagogia do diálogo é a base de todo aprendizado, se fundamentando numa filosofia pluralista, onde o que se espera é respeitar o ponto de vista do outro, tendo o seu. Assim “Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo” (FREIRE, 1987, p. 13).
Ao ter que melhorar meu Projeto também melhorei meu entendimento, e vi realmente que os autores que escolhi tem tudo haver com o que acredito.

13 de abr de 2010

Planejamento

Planejar , é algo que precisa de tempo . Infelizmente o tempo foi pouco com relação ao Projeto de Estágio , porque a aula foi na 4ª feira, e até domingo precisava estar pronto o Projeto e uma semana de aula. Esta tarefa foi muito desgastante , mas consegui vencê-la.
Na correria de planejar , ler, digitar, escrever, montar xerox, scannear, uma leitura me marcou,  um diálogo de Paulo Freire com as clases populares, quando ele começa a questionar sobre , porque ele  Paulo sabe , e os trabalhadores dissem que não sabem. Os trabalhadores sendo questionados acham respostas para os questionamentos e no meio afrimam que DEUS quis. Então Freire pergunta quantos filhos um trabalhador  tem e esse responde que 3 e aí ele questiona, se este pai daria mais coisas a um filho do que aos outros e o pai responde que não, assim Freire coloca ,que se DEUS é o pai de todos , como iria dar mais pra um filho do que para os outros. Os trabalhadores então chegam a conclusão que a escolha é do próprio Homem.
Esta leitura veio bem a acalhar para minha motivação e escolha do meu tema  Pluralidade , porque onde trabalho a comunidade quase não almeja, são acomodados,   não vislumbram um futuro diferente e melhor, esperam as coisas acontecerem, eles precisam é de questionamentos, visão de outras realidades, mostra de mudanças, comparações, para verem que são capazes de correr atrás do que querem, que é possível mudar, mas que para mudar é preciso querer.

5 de abr de 2010

Reflexão sobre aprendizagem!!!

Ser um educador problematizador,  uma vez que “... ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para sua produção ou sua construção”. (FREIRE, 2000, p. 52), me parece um grande desafio, visto que  a turma que farei estágio, está habituada a receber "coisas" prontas, eles tem uma rotina, estão sempre com atividades, porque não conseguem saber o que fazer com o tempo livre.
O diálogo nesta turma não é uma constante, no momento que um se preocupa com a vida do outro , esquecem de um acrescentar algo ao outro, e então as discussões acontecem e vira fofoca.
O descobrir,construir, pesquisar, ouvir, trocar com o colega não é um costume desses alunos.
Sei que terei que promover o diálogo, a escuta ,para eles poderem interpretar, descobrir, aprender, dizer, compartilhar, assim se abrirão para o  questionamento e quanto mais  perguntarem, mais a curiosidade aparecerá e espero  que a aprendizagem flua, porque só aprendemos quando estamos dispostos, quando nos abrimos ao novo e quando nosso interesse é agusado.

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios