31 de ago de 2009

Volta ao Passado!!!!




Nosso ofício carrega uma longa memória...
“Prefiro pensar que o aprendizado vem dos primeiros contatos e vivências dos mestres que por longos anos tivemos, desde o maternal. As lembranças dos mestres que tivemos podem ter sido nosso primeiro aprendizado como professores. Suas imagens nos acompanham como as primeiras aprendizagens. (...) Repetimos traços de nossos mestres que, por sua vez, já repetiam traços de outros mestres. Esta especificidade do processo de nossa socialização profissional nos leva a pensar em algumas marcas que carregamos. São marcas permanentes e novas, ou marcas permanentes que se renovam, que se repetem, se atualizam ou superam”. (Miguel Arroyo, Ofício de Mestre, 2002, p. 124)
Este fragmento do texto de Miguel Arroyo que nos leva a reflexão sugerido pela interdisciplina de Didática me fez lembrar de meus professores, dos tantos que tive, lembro de muitos com carinho.
Sempre estudei em São Leopoldo
Tive uma passagem pela E. M. São João Batista , fui ouvinte, não lembro de nenhuma professora, nem colegas , eu era muito pequena, tinha uns 4 ou 5 anos, lembro sim que brincava que eu era a Batgril e tinha o Batman , o Robin e a Mulher Gato, também lembro que íamos no Zoológico, pela entrada dos fundos;
Escola Municipal Paul Harris
Pré – Professora Dalva, gostava muito dela, e ainda a vejo , ela me reconhece, sem eu precisar lembrá-la;
1ª série – Professora Jussara, gostava também dela, ela ainda trabalha na rede, eu até a vejo, de longe, nunca mais falei com ela, ela não me reconhece. Lembro que tinha duas Marta na sala e ela me chamava pelo meu segundo nome Roseli, que a partir daí comecei a detestar;
2ª série- simplesmente não lembro quem era a professora;
3ª série- lembro perfeitamente do rosto da professora, mas não do seu nome, sei que ela teve que viajar e entrou outra professora no seu lugar , que era bem jovem muito querida , que também não lembro o nome, mas lembro do rosto e até de uma marca de nascimento que ela tinha na face;
4ª e 5ª série- várias professoras mas tinha minhas preferências, professora Ana(Ciências), Regina (Ed. Física),Simone (Matemática), Vanderlei(Hist.e Geog.)
Mas no meio de tantas tinha uma que nem era minha professora, mas estava sempre na escola, ela trabalhava na direção, professora Lia, eu era apaixonada por ela , porque ela brincava, cantava, cuidava do recreio, fazia cantigas de roda, me chamava de Joaninha.
Não posso deixar de relatar minha vida escolar no “Pedrinho” Escola Estadual Pedro Schneider, nesta escola estudei, da 6ª série até 3º ano do 2º Grau e depois fiz o Magistério.
No Pedrinho passei por muitos professores porque a rotatividade no estado é muito maior que no município, mas lembro do professor Adair (matemática) que estava sempre disposto a ajudar, quem realmente queria aprender, porque ele era um ótimo observador,e acho que por isso pelo incentivo deste professor eu gosto de Matemática e passo isso para os meus alunos, porque eles não tem medo da matemática , eles aprendem a gostar.
Tenho no coração guardado a professora Maria Amélia (português) mais que professora era uma amiga, e é até hoje, porque se nos encontramos na rua paramos e conversamos(a última fez que nos falamos estava indo para para São Paulo, ficar com o filho e netos), ela sim pra mim é um exemplo de paixão pela profissão, de carinho e dedicação , de envolvimento com os alunos, ela sabia ouvir e falar, com compreensão.
Com ela aprendi que entre aluno e professor é possível sim, ter respeito e amizade, dentro de um limite que se vai construindo.Ela é minha professora especial, que deixou uma marca profunda, que se chama aprendizagem
.

27 de ago de 2009

Expectativas/ 7º Semestre


A vida é cheia de expectativas e lembro que em 2006 quando iniciou o curso
"Hoje decididamente começaram pra valer as disciplinas que nos foram apresentadas no dia 19.9, na aula presencial. Quanto a gente lê tudo o que tem que fazer dá um medão, mas nada que não seja possível e que não valha a pena, sei que a leitura será fundamental e a pesquisa também." eu me sentia assim e ainda hoje me dá um medo, quer dizer não sei se é ainda medo, ou é uma incerteza de não dar conta de tudo.
Hoje vivo outro momento de minha vida , quanta coisa muda em 3 anos, as preocupações vão e vem , os problemas aparecem.
Por enquanto que muitas colegas preocupam-se porque trabalham 60h, eu me preocupo se darei conta das 20h profissionais, e das 40h pessoais que envolvem minha família em casa e principalmente meus pais que neste momento precisam de atenção especial. Assim, além de aluna neste semestre, sou professora, mãe, filha, mulher, esposa, motorista, dona de casa, irmã, madrinha, ouvinte, amiga e tantas outras funções que aparecem.
Sei que estamos na reta final do curso, últimas interdisciplinas , ano que vem estágio e TCC, que sonho!!!!!
Neste semestre quero colocar minhas aprendizagens em prática com os alunos que frequentam o EVAM ( Laboratório de Informática) o qual sou responsável e atendo alunos de 1º a 7ªsérie , é uma pena que ainda não temos acesso a Internet.
Tenho que dizer que meus horários no laboratório são cheios, cada professor se agenda e leva seus alunos, não tem um planejamento comigo, mas pretendo me organizar e tentar fazer algumas combinações com os professores do curriculo para tentarmos elaborar um planejamento, tentando organizar um PA, do interesse da turma. Dependo da boa vontade dos colegas, mas se não conseguir penso em fazer observação do crescimento dos alunos no laboratório, quanto a motricidade, atenção, trabalho em grupo, iniciativa, cooperação, etc.

12 de ago de 2009

Recesso Escolar e Gripe


Estou em casa desde o dia 22.07, então fazem exatamente 22 dias que a rede municipal de São Leopoldo está de recesso escolar ou FÉRIAS, durante estes dias o que se leu no jornal foi sobre a gripe A ou gripe suína, e é este o motivo do recesso ter sido prorrogado , a preocupação de uma epidemia .

Bem, pensando que teremos que recuperar estes dias durante os próximos sábados do ano, e que tanto pais, alunos, quanto muitos profissionais da educação não se preocuparam em ficar em suas casas evitando o contato com outras pessoas em ambientes fechados fica difícil saber se a prorrogação do recesso realmente foi valido.

O comentário que ouvi das pessoas que trabalhavam no comércio é que o centro estava sempre lotado, o shopping cheio e os cinemas bombando, as pessoas caminhando, olhando vitrine, as crianças brincando nos parquinhos pagos no shopping e no BIG, todos respirando o mesmo ar, sujeitas a transmissão do vírus.

Então, pergunto: Será que as pessoas não escutam as informações , ou se fazem de surdas???

Sei que é difícil manter as crianças em casa, mas se realmente não fosse nescessário elas poderiam estar tranqüilamente freqüentando a escola .

Neste caso a saúde foi colocada em primeiro lugar, é preciso ter consciência e entender as decisões tomadas pelos orgãos competentes (Secretaria Saúde) e transmitidos através dos meios de comunicação.

Infelizmentes as pessoas acham que as coisas, não são reais, que não vão acontecer e só acreditam quando acontecem com elas.

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios