28 de jun de 2010

Relatório

Desenvolvendo o relatório de Estágio, quanto mais leio, mas coisas tenho a acrescentar.
Deixo registrado aqui um pedacinho do meu relatório.

[...] os alunos são influenciados pela sociedade que os cerca. Foi curioso começar a trabalhar sobre o Rio dos Sinos, porque nos desenhos e na escrita, os alunos se posicionam de uma maneira crítica, como ouvem dos outros, ou vêem na TV, mas nas ações tudo é diferente... durante esta semana os alunos conversaram muito sobre a atual situação do Rio dos Sinos, leram reportagens, viram fotos, ouviram histórias, fizeram desenhos, escreveram sobre o assunto e construímos tipo um mapa conceitual, eles mostraram ter uma posição a favor do cuidado com o rio, e serem contrários a poluição, mas nas suas ações não é isso que acontece, porque mesmo tendo participado da aula no barco, sabendo das notícias que foram manchete sobre a cheia no Rio, das conseqüências, das doenças, dos prejuízos, ainda parece que o rio é algo bem distante, que não precisam dele, porque podem "tomar água mineral", e não precisam da água do Rio dos Sinos, mas ao mesmo tempo acham que ela não faz mal, porque relatam que comem peixe do rio, alguns são favoráveis a tomar banho no rio no verão. Sem falar do lixo, que parece não ser responsabilidade deles, continuam jogando no chão e ainda se é pedido pra juntar, dizem que não, porque "não fui eu quem jogou". Claro que não dá para generalizar e parafraseando Paulo Freire (1996) "É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal forma que, num dado momento, a tua fala seja a tua prática", porque tem alguns alunos que se destacam e demonstram através das ações terem consciência que é preciso praticar o que é dito”. (MARTA, 2010).

21 de jun de 2010

Final semestre!!!!

Quem diria , quase fazendo TCC, falta tão pouco, só um semestre, mas antes ainda tem Relatório de Estágio e Workshop.
Parece tanta coisa, em tão pouco tempo, mas sei que darei conta, porque se cheguei até aqui, seguirei em frente e em 2011 já estarei formada e lembrarei com carinho dos momentos que passei, do que sofri, das madrugadas, da caixa de e-mail cheia, das colegas, dos professores, das aprendizagens, das leituras, dos trabalhos em grupo, enfim....
Em especial me lembrarei de alguém que é simplesmente 10, a professora Dóris, ela está me acompanhando desde o semestre passado, foi quando começou a ser professora da Pedagogia à distãncia. Tiro o chapeu para esta professora, que é exemplo, que está sempre em contato, que se preocupa com suas orientadas e que é uma pessoa humana , preocupada e sensível, que me ouve e me orienta.
Acho que todo professor precisa ser modelo e simplesmente a professora Dóris o é. Assim como também oi a tutora Suélen, que era parceira e estava sempre pronta a ajudar.
Acho que um curso a distância só dá certo pela vontade e esforço do  aluno, mas principalmente pela resposta que este aluno tem do outro lado do computador. É preciso motivação, e esta só é encontrada em pessoas que se disponibilizam , que se fazem presentes , mesmo estando ausentes.

14 de jun de 2010

Estágio!!!!

Refletindo sobre meu estágio vou de encontro as palvras de Paulo Freire em Pedagogia da Autonomia "É o meu bom senso que me adverte de que exercer a minha autoridade de professor na classe, tomando decisões, orientando atividades, estabelecendo tarefas, cobrando a produção individual e coletiva do grupo não é sinal de autoritarismo de minha parte. É a minha autoridade cumprindo o seu dever" (Freire.1998, p. 68). A presença do professor como orientar é muito importante para dar andamento ao processo de ensinar e aprender.
Durante meu estágio foi assim que me senti , uma orientadora que ao propor diferentes atividades incentivava os alunos a irem em busca de respostas e de tentar resolver suas dúvidas através de seus conflitos e da troca com os outros colegas. 
Promovi o diálogo e não realizei simplesmente um repassar conteúdos, o que proporcionei aos meus alunos foram atividades diversificadas onde ele a prncipal fonte de pesquisa era o interesse do educando, o seu questionamento, as suas dúvidas e certezas.
Termino meu estágio tendo a certeza que acrescentei algo na vida escolar de cada aluno da turma 5A3, porque os alunos que comecei o estágio sofreram uma transformação perceptível durante o processo e estavam diferentes no final do mesmo, mais interessados, participativos e independentes. 

7 de jun de 2010

Afetividade!!!

“Para aprender, necessitam-se dois personagens (ensinante e aprendente) e um vínculo que se
estabelece entre ambos. (...) Não aprendemos de qualquer um, aprendemos daquele a quem
outorgamos confiança e direito de ensinar” (Fernández, 1991, p. 47 e 52).

Entro na última semana de estágio , mas posso dizer que os alunos que comecei o estágio são diferentes dos que termino o estágio, isso pra mim é gratificante, pois mostra o quanto foi importante uma mudança na vida destes sujeitos, eles estavam acostumados a uma rotina, a um professor e eu cheguei para desestabiliza-los. No início, foi difícil a convivência, porque tudo que é novo, incomoda. Então a minha entrada na vida escolar deles foi até motivo de rejeição, mas com jeito e conversa  consegui que eles entendessem que as pessoas são diferentes e que precisamos ter novas oportunidades e tentar mudar ou pelo menos se adaptar . Precisei muitas vezes ter pulso forte , chamar a atenção, mas também precisei demonstrar muito carinho , ser afetuosa, mostrar que me importava, e que notava as diferenças que iam acontecendo em cada um. E no momento que  os incentivava  , eles iam melhorando.

6 de jun de 2010

BLOG DA TURMA 5A3

Vale a pena conferir o blog da minha turma de Estágio, você vai gostar de ver as produções dos alunos, esperamos os comentários.

http://turma5a3.blogspot.com/

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios